quinta-feira, 14 de agosto de 2008

machismo vs feminismo

barbie-mulher-maravilha: desde cedo as meninas ja sao subliminarmente programadas para o modelo de perfeicao feminina, e claro que de um ponto de vista masculino.

A gente nao se dá conta, mas há uma guerra dos sexos, de pano de fundo, na nossa cultura. E sempre haverá, enquanto a maior parte nao enxergar e desvendar as desigualdades envolvendo os gêneros. De um lado, uma sociedade que ainda tem uma herança machista, que oprime e pressiona a mulher de uma forma principalmente tácita. Do outro, mulheres que não se conformam com essa desigualdade e ficam num dificil lugar onde se dedicam a chamar atenção para os desequilibrios entre gêneros e machismo do mundo. "Dificil", porque é um ingrato posicionamento ideológico: se por um lado se tem que puxar a balanca pro centro, se faz uma força oposta muito grande. Por isso as pessoas confundem esse conceito do feminismo, que nao é o contrario do machismo, e sim uma tentativa de proteção contra o machismo. E tambem por isso que é tão comum defensoras da igualdade feminina cometerem o feminazismo, o radicalismo geralmente contendo rancor e raiva, que é igualmente despropositado e destrutivo. Porque só alimenta essa "guerra de sexos". E lutar pela paz é um contrasenso, e um pecado recorrente de muitos militantes: a linha que divide militância e radicalismo é muito tênue.

Vi um filme em Barcelona, numa exposicao dedicada a Agência Magnum, chamado Aka Ana, filmado em 2006 em Tóquio, do diretor francês Antoine D'Agata. O filme mostra depoimentos, dos mais profundos, de prostitutas japonesas, e uma fotografia que te leva ao mundo mais íntimo delas. Saí da sala de projeção estarrecido. Foi uma experiência muito forte, porque nunca vi um filme que falasse de uma forma tão crua e profunda da natureza feminina, da fragilidade que envolve a sua condição, da questão de lidar com a sexualização do mundo regido pela visão masculina, das 'leis' que a vida impõe à mulher, ainda mais naquele contexto. Isso tudo se intensificou ainda mais porque estava acompanhado de uma amiga que ja teve uma experiencia de estupro. Realmente sai branco, com olhar perdido e a consciência de que provavelmente nenhum homem vai um dia saber exatamente o que é, realmente, a condição feminina, os conflitos, a responsabilidade de ser tanta coisa que lhe é projetada, a pressão da sociedade em tantos aspectos, a subjetividade e sobretudo o milagre da maternidade. E isso me faz compreender mais as mulheres que piram com isso, e as vezes passam dos limites. Nao é pra menos.

E por este equilibrio homem-mulher ser uma condição tao delicada, e por serem necessários tanta evolução e altruismo da raça humana para lidar de forma equilibrada a respeito, não sou otimista. Como o mundo está cada vez mais individualista, as pessoas cada vez mais fechadas e incapazes de se relacionar, compreender e tolerar as diferenças, do jeito que as coisas estão cada vez mais imediatistas e capitalistas (em uma sociedade onde todos querem comprar as soluções, e nao trabalhar por elas) eu cada vez mais acredito em uma antiga profecia minha:
Como sou fã de ficção cientifica e de previsões fantásticas, acho que nesse seculo nós ainda vamos presenciar um conflito social (e sexual) gerado pela tecnologia. Se imaginarmos que não ha limites tecnologicos, um dia desses os japoneses vao lancar uma sofisticada mulher artificial para fins sexuais (como ha em blade runner, meu filme preferido). E eu acho que os valores dos centros urbanos do mundo tao caminhando pra um lado tão vazio e consumista que isso vai ter um mercado grande entre infelizes homens solitários, acomodados, imediatistas, sem vivencia ou simplesmente machistas e misoginos, em um mundo cada vez mais regido por imagem e menos por valores essenciais. E certamente vai gerar uma (in)revolução de costumes. Se pararmos pra imaginar as possibilidades, nao é nada animador. Mais um exemplo de que a tecnologia, se usada somente pra suprir o comodismo e imediatismo humano, pode ser uma enorme inimiga.

Será que o ser humano vai acordar a tempo para resgatar (Desde ja) a vida de verdade? Resgatar o valor da complexidade tão bela das relações, que são essenciais pra nossa evolução como humanos?
Veremos nas proximas décadas, mas correndo o risco de parecer feminista (ou machista, pra alguns pontos de vista), sinceramente eu acredito que a mulher tem até mais poder pra mudar esse destino - espalhando sua compreensão e sensibilidade, se negando a ser o que o mundo machista espera dela para ser ela mesma e botando pra fora o seu poder e sua inteligência emocional, que são tao reprimidos, há tantos seculos, que precisam de uma sacudida pra acordar realmente.

6 comentários:

Maria Claudia Pompeo disse...

Eu acredito que possa haver um equilíbrio homem-mulher, só que mais individualista, pensando menos em sociedade como um todo e mais como núcleo familiar. Porque tudo começa na criação de uma menina e de um menino. Certamente, Lucio, homens como vc que cresceram rodeados de mulheres, têm uma visão mais feminina do mundo. Homens assim encontram mulheres assado e aí sim, há um certo grau de evolução. Acho que tem que existir a noção da diferença entre ambos os sexos. Ela existe e ponto.
A maioria não enxerga a delicadeza e as angústias de ser mulher, simplesmente. Sem nenhuma conotação de posição em relação ao mundo, mas só ser mulher. Não é muito fácil não.
Eu acho que nós, mulheres contemporâneas, sofremos com a pressão inclusive de outras mulheres que nos desequilibram quando competem entre si, querendo subir na vida no matter what, querendo conquistar homens a qualquer preço, enquanto outras mais discretas, que vivenciam o lado delicado e sutil da feminilidade não conseguem acompanhar esse ritmo alucinante.
Eu me sinto assim as vezes.
Mais do que a pressão masculina, sinto muita pressão das mulheres ao redor.
Por isso eu acho que tenho amigas com a cabeça aberta, quase loucas, no melhor sentido disso. E tenho amigos homens que são femininos e sensíveis.
Pra mim, esse é o equilíbrio. Mas isso sou eu.
Tem sempre alguém que aprecia um machão e homens que preferem as amélias.
Espero que entenda minha opinião.
:P

Beijos e até breve!

Aleleu disse...

Eu simplesmente ignoro essas discussões sexistas. Cada dia mais me convenço de que são as mulheres que mandam em tudo, e decidem sobre tudo. Pra mim a diferenciação entre os sexos tá mais pra ilusão dualista do que outra coisa.
Mas queria dizer que não foram os japoneses que saíram na frente, e sim os suecos. :)
Veja isto:
http://planetadasolidao.queroumforum.com/viewtopic.php?t=2152

eu mesmo disse...

As mulheres decidem tudo sem ter a consciencia total de que toda a motivacao do homem vem delas e para elas? É isso que voce quis dizer?

Pois eh, esse endereco que voce passou prova que nao so a tecnologia ja ta caminhado para isso como a naturalidade das pessoas em relacao a tamanha "fuga da natureza". Sem falar no teor machista, a comecar pelo titulo e pelo texto, que prova que esse ai é o mundo em que vivemos..

Imagina uma mulher dessa toda customizada (voce escolhe como quer cada parte do corpo), que se pode programar um monte de coisas, como temperatura, etc. ate mesmo as palavras do repertorio dela. Vai ser a desculpa perfeita pros machos -neandertal-pos-modernos se isolarem mais ainda, solidificando realmente uma misoginia. É preocupante, meu caro...
Porque o grande mal do mundo eh justamente o isolamento, comecando do isolamento que nossa geracao sofreu (nas grandes cidades), de crescer ja numa redoma de paranoia.

Ilana disse...

Gostei do texto. Mas discordo da sua expectativa dos homens continuarem no poder a ponto de livremente fazerem bonecos fake de women somente para fins sexuais...eu ja acho que a mulher cada vez mais ta dominante...e vai chegar num dado momento ainde todas a mulheres viverao juntas em comunidade e criarao seus filhos juntas enquanto os homens somente protegerao de invasores querendo disseminar suas sementes ou cacando quando requisitados, ou para festas de reproducao. A evolucao esta levando a uma volta aos primordios. A evolucao sera voltar as raizes. O ser humano esta prestes a destruir tudo o que esta ai exposto hoje..os homens ja nao querem mulheres para sexo...as dietas ja estao mudando os XYs mutantes. As mulheres cada vez mais se veem destinadas a controlar a parte administrativa, burocratica, profissional. Nasceram com o dom natural de administradoras...do lar...de dez filhos..do marido..da casa....elas ja nascem sabendo esse papel..e sim, alguem percebeu isso la pra idade media e mandou todas pararem de escrever e ler, se nao, tortura! Medo da interferencia na politica, nas estruturas sociais aonde a classe hegemonica era masculina em seu todo. Medo do poder que a mulher tem sobre o homem, medo da sua sexualidade... Alem de que elas, hoje, ja descobriram que nao sao elas as frageis...nem psicologica nem fisicamente.SO precisam encontrar o equilibrio nisso e libertar a mente das outras. E os homens estao ja comencando a perder seu prumo, atirando praa tudo quanto e lado, se matando daqui, evitando a reproducao ali, alem do homossexualimo crescente. Talvez sim, as mulheres matem todos os homens e facam algum escravos de semen alem dos seus bancos de esperma para reproducao independente. Olha so quanta mulher com men hatery ja rola...conheci VARIAS nos EUa...mas aqui no Brasa...ta chegando...
Eu ja acho que a ideia da comunidade e legal. Vai dar certo. As mulheres no comando, na politica, sera legal tb. Todas tem filhos e nao vao querer guerra, pensarao no futuro de seus netos. Mas sobre o banco de semen...eu lutarei contra essa radicalidade....nao acho que ninguem e melhor que alguem..nao acho que ninguem PRECISE de alguem...mas a beleza da vida esta nesse ying and yang, nesse dia e noite, nesse quente e frio, no homem, na mulher.....o mesmo Deus que destroi e o que cria. E tudo parte do equilibrio...diferentes, mas complementares.

Fui politicamente incorreta na minha previsao do futuro?

Beijos

Tati da Vila disse...

Gostei muito do texto : )

Fiquei intrigada com esse filme....

Eu tenho muitas amigas que atuam em partidos e correntes femininas ligadas a organizações pelo direitos humanos. Sabe, as vezes é difícil conversar com elas, porque o radicalismo impera um pouco e aí, como vc disse, fica complicado entender se elas são feministas ou machistas. Mas aplaudo quem se dedica a essa causa, porque o preconceito com a mulher é grande e latente na nossa sociedade.

Sofro muito isso com o trabalho como Dj e já estou cansada das piadinhas, das fofocas, das cantadas, do assédio desrespeitoso...realmente é desgastante e sinto que me defendo a todo momento...

Ameba Assexuada disse...

Olá querido, legal o texto.

Pra mim o individualismo é realmente um fenômeno de massa, e que acaba por fomentar o isolamento, isso tem justificado a febre das relações virtuais, que cada vez mais diminuem o saudável contato, a convivência, o conhecimento real, porque virtualmente podemos ser o que quisermos, então pra que expor as nossas limitações, traumas e fraquezas, e quanto a banalização do sexo concordo que as bonecas e bonecos infláveis encarregam-se de suprir a parte física que as relações virtuais de bate papos, por exemplo, não podem suprir, pois a masturbação do sexo virtual é sem dúvida muito menos palpável que uma boneca virtual (...) e se ela pode dizer o que queremos ouvir será então a própria encarnação da perfeição (...) será??? Pra mim, a perfeição cansa, nem as mais proeminentes carências, inseguranças sobrevive a tanta previsibilidade. Enjoa.

Mas por outro lado, acho misoginia muito radical, eu atribuiria mais a uma espécie de fobia e não aversão (...) Sem dúvidas a mulher moderna assusta os homens, pois os pobres coitados foram pré-formatados para cuidarem, protegerem, suprirem e serem cabeça da família, e hoje as muitas mulheres são independentes, bem sucedidas, fortes e estão longe das criaturas frágeis, desprotegidas e dependentes, que ainda povoam o inconsciente coletivo masculino do senso comum, e isso causa frustração e medo, na verdade o homem está perdido diante de toda essa transformação do “sexo frágil” em “sexo independente”. E ainda estão ainda menos acostumados e preparados para serem sustentados por mulheres, que estão cada vez mais ganhando espaço no mercado de trabalho e muitas vezes ganham mais, imaginem a cabeça desse pobre macho que foi educado para ser provedor, eles devem estar em pânico, perdendo suas identidades, agora o conflito toma conta das pobres mentes desses machos que não se adaptaram as mudanças evolutivas.

Acho que esse resgate do valor da complexidade das relações, do contato, da aceitação das diferenças, depende de uma evolução masculina em paralela à feminina, pois o ideal, seria uma miscigenação, das características antes atribuídas a apenas um dos sexos, a mulher caminhando para a independência e o homem para a sensibilidade e compreensão, porém sem perderem suas essências, caso contrário não passaria de simples e pura inversão de papéis. Pra mim, ambos os sexos devem caminhar para o hibrido e adaptável, isso sim seria evolução, além de é claro, o estimulo ao contato direto, para que o mundo real, não se transforme em realidade virtual.

bj <3